segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES LANÇA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016



A Campanha da Fraternidade 2016 está sendo lançada neste fim de semana na Paróquia São João Eudes. Primeiramente, nas capelas Nossa Senhora da Libertação e Divina Misericórdia. Hoje, na Capela Nossa do Perpétuo Socorro, no bairro Guararapes, nas proximidades do Iguatemi e, no fim da tarde, início da noite deste domingo, dia 21 de fevereiro, na Capela Santa Luzia,no Jardim das Oliveiras e na Igreja Matriz, no bairro Luciano Cavalcante, próxima a Câmara Municipal de Fortaleza.

Para dar início à celebração eucarística o padre Luís Gabriel fez um comentário explicando a Campanha da Fraternidade, "instituída pelos bispos do Brasil", que tem por objetivo geral assegurar saneamento básico para todas as pessoas. 

Nesta manhã, numa celebração presidida pelo pároco Luís Gabriel, na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por ocasião do Ato Penitencial, um grupo de seis pessoas fizeram parte de  uma procissão levando um globo, envolto num pano preto; um saco de lixo, uma garrafa de água suja, um jarro com uma planta seca, cano seco e uma casa.

Estas pessoas entraram rodeando o globo envolto  no pano preto. Pararam  diante do altar, de frente para a assembleia. À medida que o comentarista ia lendo o texto sobre cada item, as pessoas iam mostrando à um a um. O primeiro carregando o globo, ficando de frente para a assembleia, rodando o círculo, em seguida  o que leva  a água,  o jarro seco, a casa,  os canos. No final da leitura foi  retirado o pano preto encobria o globo e tudo foi colocado no chão e os seis se deram as mãos. 

Meus irmãos e minhas irmãs

Hoje nossa paróquia nos convida a refletirmos sobre a Campanha da Fraternidade do ano de 2016 que tem como objetivo geral assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmos-nos à luz da fé por políticas públicas e  atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro da nossa  Casa Comum, o espaço em que habitamos.
Todos nós somos responsáveis por nossa Casa Comum.  Nosso planeta, a Terra, se ressente de nossas atitudes egoístas e irresponsáveis quando não temos cuidado com o lixo produzido em nossas casas, com a água usada irresponsavelmente,  com a natureza que poluímos.


A água, fonte de vida para todos nós, muitas vezes é poluída por nossa falta de cuidado com as suas nascentes, fontes, ou rios. Precisamos cuidar  da água pois ela nos garante a sobrevivência e quando gastamos água desnecessariamente , no futuro irá nos faltar. A poluição da natureza pelos gases tóxicos produzidos pelo  progresso, o desmatamento  irresponsável, os incêndios florestais  afetam o clima, aquecendo o planeta e alterando   o ciclo das chuvas impedindo que a natureza se renove, se restaure, nossas florestas morram lentamente e os animais fiquem sem comida e água.


A falta de saneamento básico nas cidades acarreta uma vida  ameaçada por  doenças  e pragas que no século 21  já deveriam estar extintas como a  diarreia, a amebíase,  a  leptospirose, a hepatite A, as verminoses. A falta de esgotos, os  esgotos a céu aberto,  ou, muitas vezes entupidos de lixo,  na época das chuvas  inundam as casas trazendo doenças  para os seus moradores, impedindo de uma moradia com dignidade.

Cada um de nós é responsável pela  saúde e a vida dos nossos irmãos no nosso bairro, na nossa cidade, na nossa Casa Comum. Usemos a água  com parcimônia, inclusive com o seu reuso,   e também a  água da chuva.  O  lixo  seja posto para ser coletado pelo poder público, devidamente ensacado e separado,  passível de ser reciclado. Cobremos dos nossos governantes o saneamento em nossos bairros.  Nas nossas casas, evitemos os jarros, pneus, piscinas e todos locais onde haja água parada para que  o mosquito da dengue  não possa proliferar, causando tantos transtornos  na saúde pública, na vida das gestantes e na população de uma maneira geral.


Somente unidos e cada um fazendo a sua parte poderemos manter a vida que Deus nos proporciona na nossa Casa Comum, preservando a natureza, usando com sabedoria os bens que Ele dá para que as gerações futuras possam  também , desfrutar da vida  e dos bens que hoje temos. 


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Palestra abre a Campanha da Fraternidade


Com uma palestra, proferida pelo Seminarista Eudista Thiago Ibiapina, foi realizada, na noite de ontem, 17 de fevereiro, a cerimônia de abertura da Campanha da Fraternidade 2016 em nossa Paróquia.
O tema da Campanha, este ano de caráter ecumênica, é "Casa comum, nossa responsabilidade", que aborda a questão da preservação de nosso planeta.
O lema, orientado por " Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca" (Am 5,24).

sábado, 13 de fevereiro de 2016

IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA PIEDADE CHEGA A SÃO JOÃO EUDES


A imagem de Nossa Senhora da  Piedade, que está peregrinando pelo Brasil na intenção do Congresso Nacional do ECC (Encontro de Casais com Cristo), chegou na noite passada, dia 11 de fevereiro e foi recebida pelo grupo dirigente da Paróquia São João Eudes, no bairro Luciano Cavalcante, depois de uma celebração eucarística presidida pelo padre Juan Carlos.
A imagem chegou à Igreja Matriz (Menino Deus), levada por um grupo de seis encontristas da Paróquia de São José, do bairro Lagoa Redonda.


A Imagem Peregrina está percorrendo as arquidioceses e dioceses brasileiras e no momento está passando pelo Setor IV B e foi acolhida no dia 24 de janeiro pela Paróquia Nossa Senhora da Glória, da Cidade dos Funcionários, onde permaneceu até o dia 27, quando foi recebido com muito amor na Paróquia Nossa Senhora do Sagrado Coração, da Aerolândia; no dia 30, na Área Pastoral São José, do Passaré; no dia 2 de fevereiro, acolhida na Paróquia São Francisco de Assis, do Dias Macedo; em 5 deste mês, foi recepcionada pela Paróquia São Diogo, no dia 8, pela Paróquia São José, da Lagoa Redonda e agora ela chega na Paróquia São João Eudes, no bairro Luciano Cavalcante, onde encerra a sua peregrinação no Setor e depois segue para o Setor V, onde fica a Igreja Matriz de Caucaia.


O Congresso Nacional do Encontro de Casais com Cristo será realizado, de 22 a 24 de julho deste ano, em Belo Horizonte, que tem como padroeira Nossa Senhora da Piedade. Esse evento está sendo preparado de maneira muito especial, com a peregrinação da imagem.E os seus objetivos incluem a evangelização das famílias; o estudo e aplicação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora a Igreja no Brasil; a formação evangélica e pastoral dos seus dirigentes e dos que vivenciaram o ECC; e 
o sentido dos documentos do Magistério a Igreja.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

EM MENSAGEM, PAPA FRANCISCO RESSALTA IMPORTÂNCIA DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016

A abertura oficial da CFE aconteceu, na Quarta-feira de Cinzas, 10, na sede da CNBB, em Brasília
“Ela propõe cada ano uma motivação comunitária para a conversão e a mudança de vida”, escreveu o papa Francisco, em mensagem, por ocasião da abertura oficial da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016. Durante evento realizado, na Quarta-feira de Cinzas, 10, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi lido o texto enviado pelo Vaticano.
Na mensagem, o papa Francisco destaca que a Campanha da Fraternidade, deste ano, trata de uma temática importante para a vida do planeta, parabenizando a Conferência dos Bispos pela iniciativa. “O objetivo principal deste ano é o de contribuir para que seja assegurado o direito essencial de todos ao saneamento básico. Para tanto, apela a todas as pessoas convidando-as a se empenharem com políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum”, disse o papa. 
Ainda no texto, Francisco convida a todos para a vivência da Quaresma, a partir de ações concretas de cuidado com o meio ambiente: “Eu os convido, principalmente durante esta Quaresma, motivados pela Campanha da Fraternidade Ecumênica, a redescobrir como nossa espiritualidade se aprofunda quando superamos ‘a tentação de ser cristãos, mantendo uma prudente distância das chagas do Senhor’ e descobrimos que Jesus quer ‘que toquemos a carne sofredora dos outros’, dedicando-nos ao ‘cuidado generoso e cheio de ternura’ de nossos irmãos e irmãs e de toda a criação”. 
Confira a íntegra da mensagem:
Mensagem do Papa Francisco por ocasião da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016
Queridos irmãos e irmãs do Brasil!
Em sua grande misericórdia, Deus não se cansa de nos oferecer sua bênção e sua graça e de nos chamar à conversão e ao crescimento na fé. No Brasil, desde 1963, se realiza durante a Quaresma a Campanha da Fraternidade. Ela propõe cada ano uma motivação comunitária para a conversão e a mudança de vida. Em 2016, a Campanha da Fraternidade trata do saneamento básico. Ela tem como tema: “Casa comum, nossa responsabilidade”. Seu lema bíblico é tomado do Profeta Amós: “Quero ver o direito brotar como fonte e a justiça qual riacho que não seca”. (Am 5, 24).
É a quarta vez que a Campanha da Fraternidade se realiza com as Igrejas que fazem parte do Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil (Conic). Mas, desta vez, ela cruza fronteiras: é feita em conjunto com a Misereor, iniciativa dos católicos alemães que realiza a Campanha da Quaresma desde 1958. O objetivo principal deste ano é o de contribuir para que seja assegurado o direito essencial de todos ao saneamento básico. Para tanto, apela a todas as pessoas convidando-as a se empenharem com políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum.
Todos nós temos responsabilidade por nossa Casa Comum, ela envolve os governantes e toda a sociedade. Por meio desta Campanha da Fraternidade, as pessoas e comunidades são convidadas a se mobilizar, a partir dos locais em que vivem. São chamadas a tomar iniciativas em que se unam as Igrejas e as diversas expressões religiosas e todas as pessoas de boa vontade na promoção da justiça e do direito ao saneamento básico. O acesso à água potável e ao esgotamento sanitário é condição necessária para a superação da injustiça social e para a erradicação da pobreza e da fome, para a superação dos altos índices de mortalidade infantil e de doenças evitáveis, e para a sustentabilidade ambiental.
Na encíclica Laudato Si´, recordei que “o acesso à água potável e segura é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto, é condição para o exercício dos outros direitos humanos” (n.30) e que a grave dívida social para com os pobres é parcialmente saldada quando se desenvolvem programas para prover da água limpa e saneamento as populações mais pobres (cf. ibid.) E, numa perspectiva de ecologia integral, procurarei evidenciar o nexo que há entre a degradação ambiental e a degradação humana e social, alertando que “a deterioração do meio ambiente e da sociedade afetam de modo especial os mais frágeis do planeta” (n. 48).
Aprofundemos a cultura ecológica. Ela não pode se limitar a respostas parciais, como se os problemas estivessem isolados. Ela “deveria ser um olhar diferente, um pensamento, uma política, um programa educativo, um estilo de vida e uma espiritualidade que oponham resistência ao avanço do paradigma tecnocrático” (Laudato Si´, n. 111). Queridos irmãos e irmãs, insisto que o rico patrimônio da espiritualidade cristã pode dar uma magnífica contribuição para o esforço de renovar a humanidade. Eu os convido, principalmente durante esta Quaresma, motivados pela Campanha da Fraternidade Ecumênica, a redescobrir como nossa espiritualidade se aprofunda quando superamos “a tentação de ser cristãos, mantendo uma prudente distância das chagas do Senhor” e descobrimos que Jesus quer “que toquemos a carne sofredora dos outros” (Evangelii Gaudium, n. 270), dedicando-nos ao “cuidado generoso e cheio de ternura” (Laudato Si´, n. 220) de nossos irmãos e irmãs e de toda a criação.
Eu me uno a todos os cristãos do Brasil e os que, na Alemanha, se envolvem nessa Campanha da Fraternidade Ecumênica, pedida a Deus: “ensinai-nos a descobrir o valor de cada coisa, a contemplar com encanto, a reconhecer que estamos profundamente unidos com todas as criaturas no nosso caminho para a vossa luz infinita. Obrigado porque estais conosco todos os dias. Sustentai-nos, por favor, na nossa luta pela justiça, o amor e paz (Laudato Si´, n. 246). Aproveito a ocasião para enviar a todos minhas cordiais saudações com votos de todo bem em Jesus Cristo, único Salvador da humanidade e pedido, que, por favor, não deixem de rezar por mim.
Papa Francisco